-->

Páginas

10 novembro 2014

50 factos aleatórios sobre mim

50 factos absolutamente aleatórios sobre a minha pessoa:

1. Nasci num domingo. De temporal. Faltou a água e a luz e o hospital mandou toda a gente para casa porque ali não havia condições. Começámos bem, portanto.
2. Sou filha única. Odeio.
3. Na maioria das vezes, prefiro estar sozinha do que acompanhada. Excepção feita para marido e filhos mas, mesmo assim, de vez em quando preciso de uns momentos só comigo. Cortesia de ser filha única, acho.
4. Em miúda, devorava livros da "Uma Aventura..." em coisa de duas horas. De novo, cortesia de ser filha única e de não ter com quem brincar.
5. Canto pessimamente.
6. Cantei no coro da igreja.
7. Comecei a fumar uns minutos antes de me estrear em palco, no teatro da escola. Devia ter uns 15 anos. Deixei de fumar mil vezes, não me custa nada, tal como não me custa pegar num cigarro, se me apetecer.
8. Não me lembro do último cigarro que fumei, mas o último maço que comprei foi algures em 2012 e ainda o tenho para ali algures.
9. O meu livro preferido é o "Ensaio Sobre a Cegueira".
10. Não tenho a mínima paciência para dramas tipicamente femininos tipo "o que é que eu hei-de vestir".
11. Adoro o facto de a minha filha ser uma espécie de menina-tractor: leva tudo à frente, não é nada princesinha.
12. Não ando a ler os horóscopos todos que apanho, mas identifico-me muito com o que se diz de mim, aquariana com ascendente em Virgem. Só que tenho duas amigas que sofrem exactamente do mesmo mal (aquarianas com ascendente em Virgem, portanto) e não podíamos ser mais diferentes umas das outras.
13. Sou extrovertida.
14. Sou muitíssimo reservada. É rara a pessoa que consegue passar a minha barreira de segurança. E isso não significa que não deixe que me conheçam - significa apenas que não conhecem tudo de mim.
15. A coisa de que mais me arrependo na vida: não ter seguido Psicologia e não ter ido para a PJ. Isso: psicologia criminal. Adorava.
16. Tenho medo de morrer.
17. O sítio que mais amo é a aldeia da minha mãe.
18. Sou saudosista.
19. Sou bruta a falar.
20. Não sou daquelas pessoas que acha graça aos bebés todos. Lamento. Mas sou apaixonada por algumas crianças e não consigo explicar a ligação: os meus filhos (lógico), a filha de uma amiga, nascida há 9 anos, as filhas do meu melhor amigo.
21. Conheci o meu melhor amigo através de um namorado. O namorado foi corrido ao fim de três meses, o melhor amigo ficou. Passaram 9 anos.
22. Eu e o meu melhor amigo: madrinha de casamento dele (duas vezes), madrinha da filha dele, padrinho do meu casamento, padrinho da minha filha. É o irmão que eu não tenho. E amo o facto de o meu marido o sentir como o cunhado que não tem.
23. A minha série preferida de sempre é o "24". Logo atrás, o "The Following".
24. Cansa-me muito o discurso da felicidade: "temos que ser sempre felizes", "temos que ser felizes todos os dias". Bah. A sério, não tenho pachorra.
25. Acredito em Deus. À minha maneira.
26. No ano que vem quero ir a pé a Fátima.
27. Um dia hei-de ir a Nova Iorque.
28. Não consigo passar um dia sem ler.
29. Este ano li quase 50% menos do que no ano passado.
30. Odeio passar a ferro.
31. Em havendo episódios de séries para ver, sou capaz de estar horas a passar a ferro.
32. Adoro cozinhar.
33. Odeio gente com a mania que é vedeta.
34. Continuo a ser a maior utilizadora de palhinhas cá em casa. O leite que bebo? Envolve sempre uma palhinha.
35. Adorava ter um café/casa de chá/pastelaria onde só venderia coisas caseiras (bolos à fatia, salgados, etc.) e onde teria free wi-fi. Seria num sítio giro, em Sintra ou em Lisboa, e seria frequentado por gente-que-escreve (aquela cena do computador em cima da mesa, uma caneca de chá e uma música calminha que eu tanto amo e que me é tão difícil encontrar!).
36. Luísa, 'bora ser sócias?
37. Tenho saudades de escrever ficção.
38. Tenho muitas saudades do tempo do DNJovem: quase todas as semanas mandava textos, eram quase todos publicados. Obrigava-me a escrever de acordo com os temas. Óptimo exercício.
39. Adoro musculação.
40. Adoro correr.
41. Sou a pessoa mais gulosa que conheço.
42. Peso mais um quilo do que pesava quando dei entrada na maternidade, grávida de 38 semanas e três dias, para ter a minha filha.
43. Peso menos 11 quilos do que quando dei entrada na maternidade, grávida de 40 semanas e 3 dias, para ter o meu filho.
44. Peso mais 12 quilos do que pesava quando despachei o tal namorado que me trouxe o meu melhor amigo.
45. Sou o tipo de mãe que não deixa os filhos andarem descalços em casa.
46. Sou o tipo de mãe que diz aos filhos para se levantarem, se eles caírem. Mesmo que se esfolem todos.
47. É raro chorar. E é muito mais fácil chorar com um anúncio, uma cena num filme ou uma notícia do que por causa dos meus problemas.
48. Já bati com o carro várias vezes. A única vez que me magoei num acidente de carro não era eu que ia a conduzir.
49. Adoro café. E chá.
50. Se fosse para uma ilha deserta, a única coisa que não podia faltar era um livro. Ou muitos livros.  

Achei que ia ser difícil desencantar 50 coisas sobre mim. Afinal havia muitas mais...!

(Sobreviveram??)

15 comentários:

  1. Entre outros, o 2, o 3 e o 4 podiam muito bem ser a meu respeito.
    A única diferença é que não odeio ser filha única. Gostava muito de ter tido irmãos mas não tive, paciência. Tenho primos que trato e sinto como irmãos.

    ResponderEliminar
  2. Eh, pá! Isto é tão "Eu" que até dói... Excepção feita para a escrita, pois não sou prendada nessa arte, para a parte da filha única [tenho uma irmã com quem só me comecei a dar bem depois de ela ter casado e saído de casa] e para a parte dos filhos [como serei como mãe ainda é uma incógnita, mas, tenho para mim, que não andará longe disso]
    E sim, partilho o desagrado em passar a ferro, mas nada a fazer em relação a isso :)

    ResponderEliminar
  3. Não só sobrevivi, como adorei ler :)
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  4. Gostei! E identifiquei-me com algumas coisas. Será do signo...? ;)

    ResponderEliminar
  5. És extrovertida? Pelas descrições que fazes, pareces muito mais introvertida "na maioria das vezes, prefiro estar sozinha que acompanhada" - isto é tipicamente introvertido. Não ligues, mas eu como agora sou aluna de psicologia ligo a estas coisas...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sou. Quando estou com pessoas, estou sempre a falar, a brincar, a rir. Mas gosto de estar no meu canto - daí o ser reservada. ;-)

      Eliminar
    2. Mas quando precisas carregar as baterias, o que preferes? Estar sozinha ou com outras pessoas? Porque a diferença entre introversão e extroversão é na forma de obter energia para a ação (embora muitas pessoas confundam introversão com timidez).
      Os introvertidos precisam estar sozinhos para recarregar as baterias, enquanto os extrovertidos precisam de estar com pessoas para ter energia.
      Do que eu conheço de ti, diria que és uma introvertida social (como eu), isto é, não somos nenhuns bichos do mato, quando estamos com outras pessoas, convivemos, mas precisamos de estar sozinhas para recarregar... Já alguma vez fizeste o teste de Myers Briggs? Experimenta, é muito giro! Aqui fica um: http://www.humanmetrics.com/cgi-win/JTypes2.asp

      Eliminar
    3. Sozinha, sempre. No geral, as pessoas cansam-me. Talvez em inglês isto seja mais fácil: sou out-going e não shy. Qual é o nosso equivalente ao out-going?
      Fiz o teste que sugeriste (obrigada!!) e deu isto:

      ESTP
      Extravert(11%) Sensing(12%) Thinking(50%) Perceiving(22%)

      Eliminar
    4. Extrovertida, de facto! Mas acho estranho, eu diria que és introvertida... Ah, mas a descrição do ESTP mete esse termo out-going!

      "ESTPs are outgoing, straight-shooting types. Enthusiastic and excitable, ESTPs are "doers" who live in the world of action. Blunt, straight-forward risk-takers, they are willing to plunge right into things and get their hands dirty. They live in the here-and-now, and place little importance on introspection or theory. They look at the facts of a situation, quickly decide what should be done, execute the action, and move on to the next thing."

      Eliminar
  6. Sobrevivi! Eu adoro estes posts :)
    Poderia ter vários comentários, se não me tornasse chatinha, por isso vou restringir a um ponto, visto que acho que esta é uma informação "importante" (aspas porque não é para levar literalmente a importância desta info :) ):
    Ponto 12 - isso que disseste é muito normal e não descredibiliza minimamente o facto de te identificares bastante com a descrição astrológica da conjunção signo + ascendente, por oposição à diferença que sentes entre a tua personalidade e a das tuas amigas. Passo a explicar: é que, astrologicamente falando, só se obtém uma fiel e detalhada descrição da personalidade/comportamentos/índole de uma pessoa através do mapa astral inteiro. O signo e o ascendente revelam dois aspectos significativos do mapa, mas há uma catrefada de outras casas com tanta ou mais expressão naquilo que achamos ser a personalidade de alguém. Exemplos: a casa da Lua, cujo resultado influencia o comportamento social das pessoas; a casa de Vénus, que denota o comportamento das pessoas nas relações amorosas; a casa de Mercúrio, que regula o intelecto; etc. etc. etc.
    Por exemplo, eu sou Escorpião (a minha essência é de índole escorpiniana), com ascendente em Caranguejo (os outros percepcionam-me, à primeira análise, como um Caranguejo), com Lua em Virgem (no meu comportamento social apresento traços de Virgem), com Vénus em Capricórnio (no amor, comporto-me como um Capricórnio), com Mercúrio em Escorpião, e por aí fora.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Fui ver a coisa mais a fundo e... oh pá, é tudo tão aquilo que até assusta!! ;-)

      Eliminar
    2. É mesmo, por norma dá resultados muito próximos da realidade! ;)

      Eliminar
  7. Encontrei vários pontos em comum com a minha maneira de ser e sentir, mas isso já desconfiava. ;)
    Só não sou filha única.

    Mas gostaria de destacar estes aqui abaixo:
    26. No ano que vem quero ir a pé a Fátima.
    27. Um dia hei-de ir a Nova Iorque.
    28. Não consigo passar um dia sem ler.
    29. Este ano li quase 50% menos do que no ano passado.
    30. Odeio passar a ferro.
    31. Em havendo episódios de séries para ver, sou capaz de estar horas a passar a ferro.

    Quero ir a Fátima a pé... e o próximo ano é uma séria possibilidade.
    Tive a viajem planeada para NY mas tivemos que adiar, mas é um sonho a realizar.
    A minha relação com os livros é muito como a tua: compulsiva, essencial; infelizmente este ano tem estado cheio de outras coisas e a leitura ressentiu-se.
    E eu a pensar que era a única que via séries enquanto passo a ferro!! Adorei!

    ResponderEliminar
  8. Reconheço-te em tantas destas coisas! A cena da palhinha desconhecia completamente. A sério?
    Se tiveres o café/cafetaria/pastelaria com wi-fi ia lá de propósito para escrever. Se pensares nisso a sério conta com a minha ajuda e comigo como cliente. ;)

    ResponderEliminar

Obrigada!