-->

Páginas

12 março 2015

A hora certa para escrever

Há muito tempo que sei disto: a minha hora certa para escrever é à noite, depois de ter a casa adormecida. Não há barulhos na rua, não há tarefas a imporem-se à criatividade, não há telefones a tocar, não há distracções. Sempre fui assim. Estudei sempre melhor à noite. Foi madrugadas fora que fiz os melhores trabalhos para a escola e para a faculdade. Foi à noite que escrevi os textos que mais gozo me deram escrever e que continuam a ser os meus preferidos. À noite as palavras alinham-se melhor em mim, como se estivessem numa auto-estrada sem trânsito, por oposição às horas de ponta que há durante o dia e que me cortam constantemente o raciocínio.

Não tenho escrito muito à noite. A casa sossega por volta das 23 e eu deito-me também. Raramente adormeço logo, mas fico a ler um bocado e não me apetece estar a ligar o computador. Na verdade, apetece-me deitar-me ao mesmo tempo que o marido e aproveitar ali dez minutos de conversa. Ontem fiquei acordada até mais tarde, sala a meia luz, computador ligado, coisas a acontecer. Nada de especial. Mas soube bem isto de escrever à minha hora, à minha maneira, como eu gosto.

É uma questão de escolha. E eu tenho escolhido o resto em detrimento disto de ficar sentada sozinha, até perder a noção do tempo enquanto escrevo. Mas em breve vão voltar os serões agarrados às teclas. E eu adoro esta ideia e adoro saber que continuo a ter ali, naquelas horas caladas, o terreno fértil de que preciso.

2 comentários:

  1. Por aqui a hora mais produtiva é de manhãzinha, depois do pequeno almoço :)

    ResponderEliminar
  2. É também a minha hora preferida para escrever. Parece que depois até durmo melhor :)

    ResponderEliminar

Obrigada!