-->

Páginas

28 maio 2015

Summertime

Passei mais de metade da minha vida a afirmar-me como alternativa/diferente/esquisitinha/contra-corrente para agora concluir que não sou nada disso. Sou uma clássica, na verdade. E, como pessoa clássica (ou velha, como preferirem), tenho assim toda uma série de ideias preconcebidas que não dão jeito nenhum. Por exemplo: praia, para mim, é entre Junho e Agosto - início de Agosto, bem entendido. Tem explicação: quando era miúda de escola (e de faculdade, vá - corrigindo: quando vivia com os meus pais), ia para a praia desde que acabavam as aulas até ir para o Alentejo de férias. Ora, Alentejo, para mim, eram quinze dias a começar no primeiro fim-de-semana de Agosto. No regresso, morria para o mundo e considerava que as férias estavam acabadas. Nada de praia, portanto. A coisa enraizou-se. Continuo a não conseguir desfrutar a 100% do Verão a partir do momento em que regresso das férias de Agosto.

Ora calha que, cá por coisas, este ano a coisa vai ser orquestrada de maneira diferente e Agosto não será mês de férias. Portanto, e já que é para rasgar com as tradições, toca de inverter aqui o jogo e...

Ontem fui à praia. Deixei os miúdos na escola, agarrei no farnel e no chapéu de sol e na cadeira de praia (eu avisei que era velha!) e lá fui eu. Melhor dia de praia do ano, aposto. Nada de vento, nada de stresses para estacionar, espaço à fartazana na areia. Paraíso. Ali fiquei três horinhas, sentada na minha cadeirinha (as restantes mulheres que estavam na praia sozinhas estavam deitadinhas na toalha; aqui a idosa estava como as idosas - precisamente sentada na cadeirinha, com aquele gomo de banha ali a tombar na cintura). Três horinhas a ler. E a ir à água quando me apetecia. E sem estar à procura dos chapéus dos miúdos. E sem estar a comer areia. A sério... já não sabia o que isto era desde 2007, glorioso ano em que passei o Verão barriguda (grávida de segundo trimestre) mas com menos, vá, oito quilos do que peso agora. E com uma barriga mais pequena do que a actual. (Sou muito factual, eu. E devia mas é ter vergonha na cara...)

Nas próximas semanas haverá mais manhãs assim, de paraíso. Para contrabalançar, amanhã começa o último fim-de-semana de stress boleiro dos próximos tempos. Cinco bolos para entregar entre sexta e segunda. Vou chegar a segunda-feira de rastos, que três dos bolos são bem grandinhos. Mas depois abranda. E sossega. E vem aí o Verão. O meu Verão. Com praia fora de horas, rotinas a mudar, coisas a acontecer. Não vou ter praia como nos últimos anos mas não faz mal: para o ano, Agosto será novamente meu!

2 comentários:

  1. Eu também gosto de me sentar numa cadeirinha na praia, a ler um livro (à velha). Isto aos 23 anos...Deverei procurar ajuda? :D

    ResponderEliminar
  2. É tão bom fazer esse tipo de programa... Adoro!
    Gomo de banha é das melhores expressões que já ouvi, e isso descreve-me na perfeição! :P

    ResponderEliminar

Obrigada!