-->

Páginas

14 janeiro 2016

Esticar a corda

Hoje fui com metade da equipa almoçar a uma tasca ao pé do trabalho. Não é o meu sítio preferido do mundo, mas desenrasca. Desenrascava. Já lá comi arroz de polvo feito com tiras de pota manhosas. Hoje comi arroz de sal com um bocadinho de bacalhau - tinha pedido frango com caril mas afinal já não havia frango que chegasse para mim. Enfim.

Bom, na altura de pedir as sobremesas, alguns pedem mousse, eu e uma colega pedimos farófias. Pois que o senhor empregado olhar para mim e diz "não há. Laranjas e abacaxi, já disse que é o que há hoje". Agradeci e pedi um café - já a ver onde é que aquilo ia parar. Começam a vir as sobremesas para a mesa e ele chega com um prato de farófias. Digo que não quero, agradeço e peço um café. Ele: então mas não tinha pedido farófias? Eu estava a brincar consigo. Eu: pois, está bem; não, não quero. Quero só um café, por favor.

Foi, portanto, a última vez que fui a esta tasca. Porque há piadas a que não acho graça nenhuma. Porque não vou ali assim tantas vezes que justifiquem este "à vontadinha" do senhor. E porque, na verdade, a comida não vale grande coisa.


1 comentário:

  1. Tambem sou muito pouco tolerante com esse tratamento "à vontadinha". Comigo, o facto de ser pequenina, cara de miúda e estilo descontraído são a mistura perfeita para quem não deve muito à educação! É como nos tratarem por TU num local de atendimento ao publico sem nis conhecerem de lado nenhum! Fico possessa!!!

    ResponderEliminar

Obrigada!