-->

Páginas

01 março 2016

Trinta e nove

Hoje, um de Março, a minha melhor amiga faz anos - uma das duas que amo como se fossem minhas irmãs.

Trinta e nove. Está ali rés-vés  nos quarenta. Conheço-a há doze. Vinte e sete. Vi-a passar por tanto. Vi-a sorrir. Vi-a emboscada. Vi-a perdida. Vi-a serena. Vi-a com dúvidas e cheia de certezas. E de medos. Nunca a vi desistir. Nunca a vi vacilar. No meio das maiores tempestades, e apesar das fragilidades que tem e que não faz por esconder, foi sempre um rochedo. Vi-a ser feliz. É feliz no sorriso da filha, nos mimos que a filha lhe dá, nos beijos lambuzados e nos abraços - tenho a certeza. Merece ser feliz em todo o lado. Hoje, se pudesse, o presente que lhe dava era essa: uma felicidade transversal, tranquila, cheia de paz. Todo o amor que aqueles olhos verdes merecem. Todos os sorrisos rasgados que às vezes não lhe consigo sacar. Todo o descanso, todo o mimo, todo o carinho que ela merece e de que precisa. Conheço-a há doze anos e nem sempre consigo chegar a ela. Nem sempre consigo ser a amiga que ela merece. Nem sempre estou onde devia. Mas amo-a do fundo co coração e serei sempre mais feliz quanto mais feliz ela for.

Meu amor, parabéns. Que sejas sempre, sempre feliz. Mereces tanto... (Lobe iú!)

Sem comentários:

Enviar um comentário

Obrigada!