-->

Páginas

02 maio 2016

Breve | 1

E quando sorris é como se a terra inteira se iluminasse, como se a vida se materializasse ali, na amplitude daquele sorriso, na brancura dos dentes que mastigam palavras e momentos e que, a espaços me morderam o lábio inferior como se me aprisionassem, como se me dissessem Quero-te meu até que o mundo se esqueça de existir. E nesse sorriso que me ancora a existência acabo por falecer. Antecipo cada gesto que trará ao teu rosto essa luz, faço-me imenso na esperança de que, por mim, sorrias sempre. Sempre. 

Sem comentários:

Enviar um comentário

Obrigada!