-->

Páginas

26 dezembro 2016

A minha filha

Às vezes tenho pena dela. É uma miúda despachada, a quem não são permitidos muitos salamaleques. Nunca fiz dela uma princesa. Não houve fofos nem meias até ao joelho. Não houve golas à Camões nem laçarotes (ou laçarões) no cabelo. Houve calças de ganga, fatos de treino, longlseeves e um ou outro vestido, sempre em ocasiões especiais. Ela não pede nada disso. Pede leggings e meias quentinhas. Pede camisolas de fato de treino. Pede um blusão de pele e uns botins que lhe ficam mesmo bem. Não quer ganchos no cabelo, nem tranças. Um rabo-de-cavalo ocasional quando o calor aperta. Pede que não lhe corte muito o cabelo porque gosta dele comprido. Pede risco ao meio para o cabelo não lhe ir para os olhos. Pede que lhe pinte as unhas e cinco minutos depois já arrancou o verniz à dentada.

Às vezes tenho pena dela. É demasiado igual a mim. Em tudo. Olho para ela e revejo-me. Sei onde aquilo vai dar. Sei que vou sofrer tudo outra vez, já não na minha pele mas, pior ainda, na pele dela. Sei que me vai doer, mais ainda do que me doeu quando o alvo era eu. Mas sei que vai safar-se. Sei que vai ganhar uma casca que a vai proteger. E sei que um dia isso vai tudo abaixo e vai ser duro. Espero estar lá para ela. Para a amparar. Para a ajudar a não se afogar. Espero olhar. Ver. Repara. E ser o abraço para onde ela corre quando o resto do mundo desabar à sua volta.

2 comentários:

  1. Não penses assim. A beleza dela não está, de certeza, nos adereços. É uma felizarda por lhe estares a ensinar as coisas certas... bj

    ResponderEliminar
  2. E ela vai-se safar... Se calhar até melhor!
    Vai cair, vai partir, vai desfazer e reconstruir...
    uma coisa de cada vez, ou tudo ao mesmo tempo, mas vai...
    E tu? Vais estas aí a assistir e de braços abertos para apaziguar o seu stress, acalmar a sua insegurança e abraçar sempre, mesmo sem fazer/dizer mais nada...
    Uma coisa de cada vez, mas sempre em frente!
    Beijinhos e bom 2017, reconstruido!

    ResponderEliminar

Obrigada!