-->

Páginas

06 abril 2017

Largar

Às vezes, simplesmente, não é para ser. E não entendes. Porque deste tudo. Não usaste máscaras. Estiveste por inteiro. Mudaste prioridades porque o amor há-de ser sempre a maior delas todas. Mas isso não chega. Depois vem a guerra. Um mal entendido qualquer e tu, que não falhaste em lado nenhum, questionas tudo. E aterras. Afinal és tu que, mais uma vez, não foste suficiente. E cais. E pensas que não vales a pena. Que nunca ninguém reconhecerá valor em ti porque simplesmente não o tens. Depois paras, voltas atrás, revês tudo e percebes que não falhaste. Efectivamente deste tudo. Foste tu. Por inteiro. Mas simplesmente não era para ser. E percebes que não adianta lutar. Não podes correr atrás do que não te quer. Esforço imbecil. Não podes obrigar ninguém a querer-te. Portanto respiras.

Paras e respiras. E percebes que precisas de ti. Precisas de te reencontrar. Precisas de recuperar, aos poucos, todo o amor que deste e que te saiu do coração. Percebes que vais demorar muito a reconstruir aquilo que és porque a queda foi violenta. Percebes que o tempo vai ser mesmo o teu maior aliado. Um dia vais acabar por acordar com um sabor doce na boca - é ao que sabem as memórias boas. Até lá, acordas mil vezes durante a noite. Porque, por muito que saibas isto tudo, o teu coração sabe exactamente onde queria estar. E é lá que ele continua. E tu aí, a tentar dormir com metade de ti fora de ti, deitada noutra cama onde nem sequer dão pela tua presença. Porque duvidaram daquilo que foi sempre a tua maior certeza. Porque duvidaram de ti. Do que deste. Do que entregaste. Do que quiseste. Do que foste. E tu quase, quase duvidaste também. Mas sabes. Estiveste lá. Por inteiro. Como não estavas em lado nenhum há muito, muito tempo. Estiveste. Foste. Amaste. E é por isso que não amargas. Porque o amor que ainda existe - que existirá sempre, tome a forma que tomar - não te permite ser mais ácida do que doce. Vais continuar a ser tu. Nunca serás perfeita. Mas tens a certeza de que cumpriste tudo o que prometeste. De que não falhaste. De que não vacilaste. Mesmo assim não foi suficiente. É porque não era para ser. Um dia entenderás... 

1 comentário:

  1. Este texto parece ter sido escrito para mim. :( Anseio acordar por um sabor doce na boca. Obrigada ☺

    ResponderEliminar

Obrigada!