-->

Páginas

17 maio 2017

| 12 |

Hoje, só hoje, Isabel esqueceu os mortos. Deixou o cemitério trancado, não foi ajeitar ramos de flores falsas nem limpar o pó às fotografias que olhava sempre. Hoje Isabel preferiu um livro. Deixou-se ficar à porta, sentada na sua cadeira pequena, enquanto o dia descia rumo ao final. Não deu pela brisa que se levantou, não percebeu por que razão estava a ver pior. Tinha deixado que o título a cativasse e escolheu lê-lo sem saber nada acerca dele. Quando deu por si ia quase a meio. Deixou que a história a sugasse. Podia ser a sua história. Talvez fosse.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Obrigada!