-->

Páginas

14 setembro 2017

Back to school (YAY!)

Acabaram as férias. Hurray!! No more "ó mãe, não tenho nada para fazer" all-fucking-day-long. No more "ó mãe, quando é que começam as aulas?", "ó mãe, quando é que sei a minha turma?", "ó mãe, quando é que saem os horários?", "ó mãe, quando é que vamos comprar o meu material escolar?", "ó mãe, quando é que me compras o cartão SIM?" tudo de enfiada, sem respirar, várias vezes ao dia, intercalado com o anterior "ó mãe, não tenho nada para fazer". Acabaram as férias? HALLELUIAH PRAISE THE LORD!

Portanto, agora só tenho de lidar com os mil trezentos e vinte e sete itens das listas de material (e gastar o que daria para alimentar um pequeno país africano aí durante dois anos), só tenho de gerir marcações de refeições, horários, calendários escolares, eventual vida social que possa derivar do facto de haver novos colegas que, azar dos azares, hão-de fazer anos à razão de uma vez por ano (pelo menos... que eu tive amigas que faziam anos três ou quatro vezes por ano... #partyanimal). Acresce a catequese do mais novo, a natação de ambos (felizmente gerida pelos avós - obrigada, melhores pais do mundo!), os fins-de-semana com o pai, os nossos fins-de-semana e... falta muito para ser Junho e isto acabar tudo, por favor?

Bom, este ano, passando à frente as reuniões de apresentação (boooooring!), o meu regresso às aulas foi assim: sair de casa às 7h50 (cria mais velha entre às 8h10), parar o carro ao portão (nem me dou ao trabalho de estacionar ou sequer de parar em segunda fila, tal é o trânsito... limito-me a parar, pronto... já está tudo parado mesmo!), ela sair do carro, alinhar na fila para entrar na escola, vê-la entrar e está feito. À noite contará como foi - e até contou mais cedo, que a avó ligou para ela dar o relatório. Tudo bem, tudo normal, amanhã há mais. Nada de ficar plantada no gradeamento da escola, tipo prisioneira, a vê-la desaparecer sei lá para onde. Been there, done that. 

Com o outro: depois de deixarmos a irmã, fomos os dois para o meu ginásio. Ele só entra às 9h e eu treino entre as 8h05 e as 8h35 (e enquanto eu treino e me despacho ele fica na recepção a ver o Panda que já fez lá uma amiga - a menina da recepção - que o entretém assim), depois banho, roupa, cabelo, maquilhagem e a escola é mesmo ao lado (tipo dois minutos a pé) e lá vamos nós. Entrámos na sala, ele lá se sentou ao lado do mânfio que lhe calhou em sorte e ali ficou, muito sossegadinho. À nossa volta, os pais de primeira viagem, muito mais em stress do que os miúdos, e os outros pais que, como já não é a primeira rodada disto, já sabem como é e querem mesmo é despachar a coisa e seguir viagem (guilty as charged!). Quando ele saiu, liguei à avó para falar com ele e o que ele me disse foi "ó mãe, amanhã quero vir outra vez". Sim, sim... amanhã e nos próximos doze anos da tua vida, puto... pelo menos! (Ou não, agora não é importante.)

Portanto, estão entregues. E eu, que ainda agora andava a caminho da escola a ver as MINHAS turmas e os MEUS horários, tenho dois filhos em idade escolar "a sério". Eu juro que só tenho 16 anos, ok? Mesmo. DEZASSEIS. 

3 comentários:

  1. O primeiro regresso às aulas sem choro que li nos últimos dias ahahahahahah

    ResponderEliminar
  2. Acho que vou sentir o mesmo quando for a minha vez.

    ResponderEliminar

Obrigada!