-->

Páginas

26 setembro 2017

Mudança de idade

Eu sou zero ansiosa com as mudanças dos meus filhos. Fazem parte. Eles crescem. Já não tenho bebés (felizmente. E não tenciono vir a ter!). Acontece, porém, que a mudança por que a minha filha está a passar é, vá, mais acentuada.

Acabou a primária. Escola nova, amigos novos... e manias novas. De repente, tenho uma miúda que já não é uma criança do canal Panda. Calma com o andor: continua a ser uma criança, nem 10 anos tem. Mas a independência é diferente. As responsabilidades (dela) também.

Quando começou a escola, decidiu atirar-me com os problemas dela: ah, não consigo marcar refeições; ah, o cartão não funciona; ah, é preciso fazer o cartão da biblioteca. Minha querida, desenrasca-te. Resolve. Aprende a lidar com as tuas situações. Eu, senhora tua mãe, só vou resolver o que for mesmo obrigatório que seja eu a resolver. De resto, my love, faz-te à vida. E cresce.

Estou sempre lá para guiar e para amparar. Mas não estou lá para fazer as coisas por ela. Já avisei: eu já fiz o 5º ano há muito tempo. Not my circus, not my monkeys. Ela que resolva. Não vou andar a aparar-lhe os golpes todos. E há-de aprender que as acções têm consequências e que é ela que tem de lidar com isso. Eu? Sou só o sistema de vigilância. E estou muito bem com isso.

2 comentários:

  1. Oh meu Deus Lénia! como me revejo neste texto.....mas fico sempre com a sensação de estar a ser muito exigente com o meu (no meu caso).....in the back of my mind....sempre deixá-los ser crianças...estou sempre sempre na dúvida....no entanto, acabo sempre por ser exigente..enfim..

    ResponderEliminar
  2. Sabes, lembro-me muitas vezes de como foi comigo, quando eu tinha a idade dela. E eu ia a pé cerca de 3kms para a escola... e depois mais 3km para regressar. Sozinha ou com colegas. Tive de me safar. E fui criança na mesma, mas aprendi a ser responsável e a ter juízo. Estou apenas a tentar que ela tenha a mesma oportunidade. E acho mesmo que, se lhe fizer a papinha toda agora, não vou estar a deixá-la ser criança, mas sim a impedi-la de crescer e de ganhar competências que acho que vão ser importantes para ela no futuro...

    ResponderEliminar

Obrigada!