-->

Páginas

01 novembro 2017

Ballerina

À procura da leveza. À procura do meu espaço. À procura daquele bocadinho de paz que me falta ainda. A tentar que o coração pare. A sossegar a respiração. Um dia hei-de estar ali, onde serei sozinha e sossegada, nada que me abale, nada que me toque, nada que me mova. Só eu. Vazio total de tudo o resto. Até lá, danço. Faço o melhor com o que tenho. Danço. Para exorcizar demónios. Danço. Para que a ilusão da música me toque e me faça respirar. Danço. Sozinha. Assim. Ninguém me ensinou. Tive de aprender sozinha. Como sempre. Sozinha. E é assim que tem de ser.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Obrigada!