-->

Páginas

10 janeiro 2018

Gostar não basta

Não basta gostar, não basta gostar muito, não basta amar. É preciso dizer que se gosta, que se gosta muito, que se ama. É preciso mostrar. Em gestos pequenos e em gestos grandiosos. Uma mensagem de bom dia. Um abraço. Um elogio. Um "vi isto e lembrei-me de ti". Um presente inesperado. Um convite só para matar saudades. Ceder o melhor lugar no sofá. Acordar mais cedo para fazer café. Preparar "aquele" jantar. Planear um passeio. Gramar com aquela série de que não se gosta só para fazer companhia. Ouvir até ao fim. Não interromper. Calçar os sapatos alheios e entender. Dar a mão. Engolir sapos (não todos). Podes gostar muito, podes amar. Se não mostrares, isso vale muito pouco. Porque, assumindo que bolas de cristal são coisas do reino da ficção, o outro não adivinha. Isto vale para amigos, família, namorados, maridos, o que for. Acresce o seguinte: hoje estamos cá todos, amanhã podemos não estar. Não deixes por dizer, não deixes por mostrar. Se gostas, cuida, trata, protege, rega, alimenta, segura, vai até ao fim do mundo, se for preciso. O amor, seja de que tipo for, é demasiado valioso para ser deixado por mostrar.

2 comentários:

Obrigada!