-->

Páginas

20 fevereiro 2018

Às vezes

Às vezes, só às vezes, queria acreditar mais. Na bondade das pessoas, em corações transparentes, em felicidade só porque sim. Mas, de caminho, a vida ensinou-me que nem tudo o que parece é. Nem todos os abraços são carinho. Nem todas as dádivas são sinceras. Nem todas as promessas são feitas de coração. De caminho, a vida ensinou-me que nem sempre as pessoas são o que aparentem. Que nem sempre as intenções são boas. Que nem sempre a bondade é paga na mesma moeda.

Ainda assim, ou talvez por isso mesmo, eu continuo a escolher manter-me livre de nuvens negras. Continuo a escolher acreditar. Continuo a escolher confiar. Continuo a escolher fazer o bem, mesmo que receba muita maldade em troca. Porque acredito que tudo o que vai... volta. Acredito na lei do retorno. Acredito que, um dia, as nossas atitudes, boas ou más, voltam para nos dar aquilo que nós demos antes. Posso estar errada. Contar-vos-ei quando estiver no fim. Por enquanto, apesar de tudo, ou precisamente por tudo, eu escolho continuar a ser eu, escolho continuar a ter um coração que não quer mal a ninguém, continuo a não praticar a vingança, nem a maldade, nem a raiva. E podia. Bem que podia. Mas não. Porque eu não sou assim. Tenho muitos defeitos, mas não serei nunca a pessoa que faz mal aos outros por prazer. Não serei nunca a pessoa que acende o fósforo apenas pelo prazer de ver a casa a arder. 

2 comentários:

Obrigada!