-->

Páginas

02 março 2018

Do lado de lá

Tenho, desse lado, leitores/seguidores fiéis. Gente que me acompanha há muitos anos, que me conheceu miúda, que me viu ser mãe, depois casar, depois ser mãe de novo, depois perder bebés, depois divorciar-me, depois voltar a apaixonar-me, ir ao fundo e voltar a erguer-me. Gente que me lê e que comenta. Gente que não me exige nada, mas que me dá tudo com a sua presença.

Eu acho sempre que não tenho assunto. Não vendo a minha vida privada e o que aqui deixo serve muito mais para memória futura do que para entretenimento de quem me lê. Não vendo nada. Sugiro livros e filmes e uma ou outra coisa esporadicamente, porque gosto de partilhar as boas ideias.

De repente, nem sei bem porquê, comecei a brincar nas stories do Instagram. E aquilo pegou. Continuo sem perceber por que é que as pessoas vêem aquilo... porque aquilo sou eu, a falar sobre coisa nenhuma, todos os dias. E quando tenho assunto, por norma, é para espetar uma farpa em alguma coisa que me enerva (ontem, por exemplo, meteu mommy bloggers e anunciantes de fotografias novas via story... e claro que perdi seguidores, que aquilo é malta que se melindra com facilidade). Não vou dar palestras sobre alimentação saudável (até porque acabei de comer um bocadinho de um red velvet que trouxe para o escritório hoje), não vou fazer dissertações sobre treino (porque hoje, por exemplo, nem sequer consegui ir treinar), não vou dar uma de guru da maternidade porque sou mãe há 10 anos e pouco e ainda não sei nada sobre o assunto. Percebem a ideia. Sou especialista de coisa nenhuma. Sou só uma mulher normal, igual a mais uns milhões de mulheres, sem grande coisa que me distinga das outras (à parte de todas as particularidades que me fazem ser eu em vez de ser a Joaquina ou a Suzete).

Hoje de manhã, porém, resolvi fazer um directo. E senti-me aquele stand-up comedian wannabe, que dá o primeiro "show" para sete amigos, num bar recôndito algures em Frielas. Tenho zero jeito para a coisa. Ou se calhar devia preparar as coisas que vou dizer. Mas... espontaneidade é mais a minha cena e a conversa vai fluindo.

Posto isto, gente, se são dos que aparecem lá pelo Instagram e até gostam do meu momento diário de parvoíce, o que é que preferem? Directos? Stories? Nada? Perguntas e Respostas? Sugiram cenas... porque eu gosto de fazer aquilo, mas convém manter o público satisfeito!

5 comentários:

  1. Eu estou por lá e prefiro stories em detrimento dos directos.
    Stories ficam e normalmente vejo tudo de rajada ao fim do dia. Diretos mesmo que esteja online, por norma, não vejo.
    beijossssssssss

    ResponderEliminar
  2. Eu quase nunca te consigo acompanhar na altura que os estás a postar, porque ao parece fazemos o caminho para o trabalho a mesma hora( e convenhamos e já sou destravada o suficiente sem distracções, se me distraísse era pessoa para me espetar :P), mas já não deixo de ir espreitar, porque tal como afirmas, és uma mulher normal, ando um bocado farta de gente que se arranja só para foto ou que passa a vida a vender coisas! (preciso fazer uma limpeza nas pessoas q sigo)
    Bjs e continua que a malta gosta! **

    ResponderEliminar
  3. Não fazia ideia de que havia todo um Instagram a decorrer paralelamente a este blog que acompanho e gosto... Mas vou averiguar!
    Talvez deva saltar os últimos stories já que sou uma espécie de mommy blogger embora não dê dicas de coisa nenhuma porque... Enfim, quem sou eu? 🙃

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O meu stress com os mommy blogs não é nenhum. Já com os comercial blogs... É outra conversa. O problema é que estes dois conceitos têm alguma tendência para se misturarem... ;)

      Eliminar
  4. Bolas, eu não consigo estar sempre a par do stories (directos ainda menos) mas adorava ter assistido a esse rant de mommy/comercial blogs. Mas continua, sempre que puder eu vou.
    Por aqui estou sempre, claro!

    ResponderEliminar

Obrigada!