-->

Páginas

05 julho 2018

One Red Crow #8


Chamámos casa a buracos imundos, vidros partidos, paredes negras de humidade, o cheiro a bafio e a vidas que correram mal, o chão manchado, as portas desfeitas a pontapé, noites demasiado longas, fantasmas demasiado vivos. Foi a nossa casa enquanto vagueámos, absolutamente desprovidos de rumo, a única certeza no ar que nos entrava a espaços para os pulmões, a pele macilenta e prova viva de todas as ilusões que acreditávamos serem reais mas que se desfaziam nas ressacas. Apostámos as fichas no número errado, o único cavalo que venceu circulou nas nossas veias e depois fomos apenas a miragem do que poderíamos ter sido se não nos tivéssemos perdido, se não nos tivéssemos entregado, se não nos tivéssemos matado em busca do prazer.

| Fotografia de João Corvo |

Sem comentários:

Enviar um comentário

Obrigada!