-->

Páginas

10 setembro 2018

Shall we dance?

Agosto acabou, as férias já eram e... é tempo de recomeçar.

Iniciei o meu ano* com um dilema: onde, como, quando e com quem fazer as aulas que quero fazer?
Kizomba mantém-se no mesmo sítio, com o mesmo professor (que contratou uma professora nova) e isso não era negociável. A quarta-feira à noite é da Kizomba tradicional, está bom, não mexe.

Mas a kizomba não é a minha grande, grande paixão - o Urban Kiz é. Oi? O que é isto? É uma espécie de plot-twist da kizomba tradicional, surgido em França há meia dúzia de anos, pelas mãos (pelos pés, na verdade) de três senhores (Enah, Moun e Carolina). Aquilo tem por base a kizomba, mas vai buscar influências (e passos e truques) a várias fontes: ao tango, ao hip-hop, à bachata e por aí fora. E porque é que eu gosto tanto disto? Porque (quase) não há limites. Porque é toda uma criatividade. Porque é (acho eu) muito mais complexo e exigente do que a kizomba. E porque adoro a música, pronto. Portanto, além das aulas de kizomba, quero fazer aulas de Urban. Ora o Urban, no sítio onde vou fazer a kizomba, acaba às 23h... e não vai dar. Por isso andei feita doida à procura de um sítio onde houvesse aulas que terminassem mais cedo. Encontrei dois.

O primeiro foi a Jazzy, em Santos. Ora a Jazzy é a melhor escola de dança do país. Ponto. Mas aquilo não é propriamente barato e... prioridades. Bem, na sexta passada fui experimentar uma aula de Urban lá. Para começo de conversa, fiquei maravilhada com o chão. Sim, isso. Eu sou o tipo de pessoa que valoriza o chão onde dança e aquele era fabuloso. Deslizava que era um mimo. Ponto a favor. Depois, os professores. O Diogo é o meu professor de kizomba e eu já sabia ao que ia. Foi a primeira vez que tive aula com a nova professora e está tudo bem ali. A aula, sendo de iniciados, não foi assim um abuso de complexidade, mas o passo que eles ensinaram é bonito e... bom, já foi dançado por aí, nessa noite e na de sábado!

O segundo sítio foi a Banga Dance It, em Algés. É uma escola que acaba de abrir e que tem tudo para correr bem porque tem professores excelentes e uma localização fantástica. O par que dá as aulas de Urban é assim uma coisa do outro mundo. Fiz com eles um workshop, na terça-feira passada, e foi das coisas mais duras e mais desafiantes de sempre - e é disto que eu gosto e é isto que eu quero: desafios potentes, que me levem para fora da minha zona de conforto e que me façam mesmo evoluir. Os preços das aulas são mais simpáticos para a minha carteira e... está escolhida a escola!

Entretanto, um desafio: e que tal virem experimentar isto da kizomba comigo? A partir de dia 19 (e até ao final de Setembro) temos aulas abertas de kizomba, bachata e urban, no meu ginásio (que é onde faço as aulas de kizomba): significa que basta aparecer e pronto. Não é preciso inscrição nem pagamento nem nada. Venham daí! Vai ser giro... não prometo é que não se viciem!!

*Eu sou das que inicia os anos em Setembro, já se sabe. E este ano novo ainda está meio atabalhoado precisamente porque ainda não estou no meu ritmo de aulas e de ginásio e tal e tal... mas está quase!

Sem comentários:

Enviar um comentário

Obrigada!