-->

Páginas

07 dezembro 2018

A pior mãe do mundo - breve explicação sobre o epíteto

Ora bem, sobre isto de ser a pior mãe do mundo por ter recusado uma ideia absurda que teve origem na escola da minha filha, tenho a dizer o seguinte:

- obviamente, levei isto tudo num contexto de ironia. Estou-me nas tintas para o que o mundo em geral pensa sobre a minha maternidade. As opiniões dos meus filhos interessam-me, mas são enviesadas pelos desejos deles e pela falta de noção que têm. Da mesma maneira que esta semana fui a pior mãe do mundo porque lhe disse que não à ida a Inglaterra, na semana que vem vou ser a melhor mãe do mundo porque os deixo jantar pizza no sofá. Como vêm, é tudo uma questão de perspectiva e de expectativas.

- como não ando aqui numa competição com outras mãe, a ideia de assumir o papel de pior mãe do mundo enquanto posto de ironia e de gozo com alucinações várias que nos ocorrem a todas neste processo de gerar filhos, de os pôr no mundo e de tentar que eles sobrevivam. 

Portanto, chill: não fiquei minimamente melindrada com a cena da minha filha, não levei a peito e não dei importância. Mas achei graça ao nome e até me soa bem para uma série de crónicas sobre o lado negro e descomplicado da propagação da espécie. Aguardem - na semana que vem começa o baile.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Obrigada!