-->

Páginas

02 janeiro 2019

... and a happy new year...

Este ano a minha passagem de ano esteve muito perto de ser o cúmulo da deprimência: eu, o meu pijama, a minha manta, um chá, um filme e três Valdisperts ali por volta das 23h, para ver se me apagava antes da meia-noite. 

Acontece que eu, que tenho pouquíssimos amigos, tenho a sorte de ter a melhor amiga do mundo, que me chateia a cabeça até à exaustão e que me vence pelo cansaço. A meio da tarde, começa a Lia a desafiar para café e eu a dizer que não, que não ia sair de casa, que queria estar enfiadinha no meu buraco. E ela a insistir. E eu lá fui beber café. Bom, aquilo acabou connosco no Continente a comprarmos amêijoas e camarão, uma garrafa de espumante e pão acabado de fazer. Acabámos a jantar as duas lá em casa e a virarmos juntas uma garrafa de vinho branco e a dita de espumante, mais uma margarita para mim e dois goles de margarita para ela. E rimos. E rimos. E rimos. (Pequeno-almoço de dia 1: um ibuprofeno e um Gurosan. Resto do dia em serviços mínimos, quase sem conseguir comer.)

Foi inesperado. Foi muito melhor do que eu pensei que pudesse ser. E, às vezes, só é preciso ter ali aquela pessoa que nunca nos falha, que nunca nos deixa cair. Aquela pessoa que é a nossa pessoa e que vai ser sempre a nossa pessoa, independentemente de todas as outras pessoas que estejam na nossa vida.

Obrigada por nunca me deixares cair. 

2 comentários:

  1. Não se pode desanimar. Que tenhas um 2019 cheio de coisas boas.

    ResponderEliminar
  2. Parece-me uma passagem de ano perfeita :) Serenidade e confiança para 2019.

    ResponderEliminar

Obrigada!