-->

Páginas

30 setembro 2019

Considerações várias sobre matérias desconexas

1. 
Tenho o cabelo pelo rabo. Não sei como isto aconteceu, não sei como não me deu uma daquelas travadinhas destruidoras nestes três anos de cabelo a sério. A franja voou várias vezes e não torna a ir. Mas já me apetece dar aqui um desbaste que não, não vai ser pelo queixo, nem sequer pelo meio das costas. Ainda assim, tenho uma sorte do caraças porque isto, mesmo sendo gigante, é lavar, passar amaciador, secar a franja e deixar secar o resto ao ar (beach waves dos pobres, na verdade). A ver se trato disto ainda em Outubro, para cumprir a minha média de duas idas ao cabeleireiro por ano (sendo que a primeira do ano foi em Julho ou Agosto).

2.
Acho que já me despedi da praia por este ano. Não foi a época mais espectacular de sempre, mas foi bom. Por mim, podíamos voltar a Maio novamente (muitos nervos quando vejo malta de bikini a contar os dias que faltam para o Natal!!).

3.
Ando a ler pouco e a ver poucos filmes e séries. Porquê? Porque a vida acontece. E porque, em Setembro, dormi uma média de 9.6h por noite. Bem precisava. Ainda assim, a Anatomia já voltou (yay) e ando a ver especiais de comédia do Netflix assim à grande. Sobre os livros, depois de ter lido o mais recente do meu Chris Carter, fiquei um bocado órfã de livro e não foi fácil voltar a encontrar algo que me agarrasse. Entretanto, ando com saudades de um bom romance histórico, que era género que devorava há coisa de 10 anos. 

4. 
Voltei a escrever am âmbito profissional. Algures no tempo, a minha vida deixou de ser letras e passou a ser números e, pese embora adorar a certeza dos algarismos, já tinha saudades de brincar com palavras. A parte boa é que, aparentemente, de onde veio este trabalho está para vir mais. Lénia que escreve é Lénia feliz. 

5. 
O tempo arrefece e eu ligo o forno e vai de scones e vai de bolos e de bolachas e... não pode ser. Senhor PT não deixa. Percebi recentemente que o meu braço direito é balofo, ao passo que o esquerdo é fit. Provavelmente, isto é cortesia de um acidente de carro que tive há mais de 20 anos (desloquei os ossinhos do braço todos, mas foi tudo ao sítio a quente, zero cirurgias envolvidas, zero fisioterapia, zero tudo e agora, olha, a diferença entre os meus braços é brutal e nada habitual. Trataremos disto com treinos unilaterais. Vou fazer mono-treino que é um mimo. Seja.

6.
A espectacular Susana, dona do tasco Ser Super Mãe é uma Treta, lança hoje o seu primeiro livro que se chama... Ser Super Mãe É uma Treta! Se forem nazis do parto em casa, da amamentação, das fraldas de pano, da alimentação do neandertal, da educação "o menino quer, o menino tem", se calhar é melhor não lerem. Se forem daquelas mães que, mais ou menos a cada dois dias, estão capazes de meter os filhos no Transiberiano, então este livro é para vocês. É um "que se foda" gigante à maternidade perfeitinha (e inexistente) e é um dedo do meio bem espetado na tromba da culpa que a vida insiste em fazer-nos sentir. Super orgulhosa de ti, Susana!

7.
É tudo, por agora. Amanhã cá vos espero, para uma terça-feira de ficção um bocadinho diferente do habitual...

1 comentário:

  1. no inicio do ano tinha o cabelo +/- a meio das costas.
    antes da páscoa cortei um pouco abaixo dos ombros.
    fez no sábado uma semana cortei um pouco acima (única exigência era conseguir apanhá-lo).

    ;)

    ResponderEliminar

Obrigada!