-->

Páginas

28 novembro 2019

Coisas que (se) importam

Portanto, importamos merda de todo o lado, principalmente dos Estados Unidos (mas não só porque... cortejos de samba no Carnaval são assim uma coisa absurda que, sabe Deus como, persiste no frio gélido do Inverno português).

Já veio o Halloween. Já veio o Valentine's Day. Já veio a Black Friday. Até já veio o basebol e há campos disto cá em Portugal, imaginem! Já veio toda a porra e mais alguma. 

O que é que não veio? Provavelmente, a única coisa bonita: o Thanksgiving.

Os senhores americanos, lá nas suas americanices, abrem a época nataleira com o dia de Acção de Graças (que celebram na última quinta-feira de Novembro - tudo paz e amor e família, para no dia a seguir enlouquecerem, regredirem uns milhões de anos e virarem homens das cavernas à caça pela pechincha mais barata, numa selva inenarrável de gente a atropelar-se para comprar merdas de que não precisa, mas pronto).

Portanto, feriado, ruma tudo a casa, chacina de perus em barda, família reunida e a coisa dá-se. E é bonito (menos a chacina de perus, vá).

O que é que há de bonito nisto e por que é que eu acho que esta é a única americanice que devíamos ter importado?

Agradecer. Agradecer as coisas boas que temos na vida. Agradecer pelas pessoas maravilhosas que tornam a nossa caminhada mais leve. Agradecer até pelas merdas que nos acontecem e que, por muito más que sejam, nos ensinam sempre qualquer coisa e nos trazem sempre qualquer coisa de positivo. 

Este ano, apetece-me parar para agradecer. Está a ser um ano incrível, mas não está a ser só meu. 

Aos meus filhos. Pelo amor, pelos desafios, pelo companheirismo, pelo crescimento conjunto, pelos cabelos brancos que me dão, sinal de que estão a crescer.

Aos meus pais. Pelo amor, pelo apoio, pela ajuda (que não tem preço MESMO!), por tudo o que fazem por mim e pelos meus filhos.

À Lia. Pelo amor-de-marida, pela amizade sem fim, por ser a irmã que não tinha e agora já tenho. Há 15 anos a fazer de mim uma pessoa um bocadinho melhor. 

Aos amigos. Que não sendo imensos (odeio multidões), são os certos. Pela amizade à prova de bala, pela conversa deitada fora, pelas gargalhadas, pelo apoio. Por serem as luzes que evitam que me estampe em árvores várias pela estrada que é a minha vida (e que, tantas, tantas vezes, parece uma daquelas nacionais hiper esburacadas onde quase ninguém passa e onde, mesmo assim, há acidentes de hora a hora).

À empresa que é a minha segunda (e, às vezes, primeira) casa. Pelo bom ambiente, pelo tratamento justo, pela alegria. Quatro anos depois, continuo a ser sempre feliz à segunda-feira de manhã, e isso só significa que vou a caminho de um sítio onde adoro estar.

Aos meus ídolos. O João, mentor de palavras, que me fez trilhar sozinha um caminho que me aterrorizava. O Manel, companheiro de escrita, que me desafia sempre e que acredita em mim mesmo quando só escrevo porcaria. 

Ao meu editor. Porra, esperei trinta anos para poder dizer isto! Por ter acreditado em mim sem me conhecer de lado nenhum, só com base no meu trabalho, no que escrevi com tudo o que tinha cá dentro.

A vocês. Que estão desse lado sempre. Muitos há dezasseis anos e meio. Caramba, temos uma relação no pico da adolescência, naquela fase em que é pêlo por todo o lado, pés a cheirarem mal, estômagos sem fundo, trombas constantes e braços de ferro permanentes. Felizmente, a nossa relação não é assim e é por isso que por aqui nos mantemos. E sim, adoro saber que me lêem. 

E, a fechar, ao J. Pelo amor, pela cumplicidade, pelas saudades, pelo companheirismo, pelas gargalhadas, pelo mimo, pelo carinho, pela alegria que trouxeste à minha vida. Mudaste tudo. E eu voltei a acreditar.

A vocês, a cada um de vocês que me dá tanto, que me ilumina tanto, OBRIGADA.

4 comentários:

  1. O amor. Na realidade tudo gira em volta do amor. ❤
    Um beijinho de quem nunca cá escreveu.

    ResponderEliminar
  2. Ai que bonito! Estou contigo, também queria ter o Thanksgiving por cá... E também sempre quis o Halloween em miúda, pelo que agora não tem metade da piada...
    Obrigada por estares por aí! Obrigada por me deixares ler as tuas palavras bonitas. Obrigada por teres esse coração.
    O próximo ano vai ser bom. <3

    ResponderEliminar

Obrigada!